Comprar um carro em segunda mão pode ser uma excelente alternativa para quem quer olhar pelas suas finanças, mas também pode revelar-se uma péssima experiência que poderá trazer dores de cabeça e gastos desnecessários em idas intermináveis à oficina. Certificar-se de que aquele é o carro certo implicará algum trabalho, mas valerá a pena. Por isso, eis os aspetos mais importantes que o ComparaJá.pt considera para garantir que se faz a escolha certa.

1. Passar o carro a pente fino

Para além dos defeitos notórios que a viatura possa ter, tais como marcas de pintura, ferrugem, amolgadelas ou problemas nos estofos ou pneus, existem detalhes ainda mais importantes que podem passar despercebidos. Peça para fazer um test drive à viatura: teste não só a direção e os travões, como também o limpa pára-brisas, ar condicionado, vidros, movimento dos espelhos e rádio.

Não se esqueça também de verificar se existe algum sinal anormal no painel de instrumentos e confirme se todas as luzes dos faróis estão funcionais. Por fim, confirme se o carro já tem o colete retrorrefletor e o triângulo.

Caso sinta que não é a pessoa indicada para fazer a vistoria, faça-se acompanhar de um amigo entendido no assunto ou até mesmo de um mecânico da sua confiança para o ajudar. Comprar um carro, ainda que usado, é um compromisso sério, pelo que descurar algum detalhe não vale a pena, podendo sair-lhe caro.

2. Financiamento

O facto de um carro ser usado não significa que seja barato. O valor é certamente mais reduzido do que a versão nova do mesmo modelo, mas por vezes torna-se necessário recorrer a um empréstimo para poder comprá-lo.

Hoje em dia, os stands automóveis já concedem financiamento para carros usados com reserva de propriedade. Ainda assim, existem várias instituições financeiras que também possuem soluções de crédito para esta finalidade. Com efeito, será sempre importante comparar a oferta do mercado e as respetivas taxas de juro em ambos os sítios. Peça uma simulação no stand e confronte com a que o banco lhe oferece.

3. Documentação e Seguro

Chegado o momento de conferir a documentação, exija o Documento Único Automóvel e consulte toda a informação nele constante, pois tudo tem de estar em conformidade com as caraterísticas do carro.

Por exemplo, se no Certificado de Matrícula o automóvel estiver com a cor “preto” e afinal depois foi pintado de vermelho e isso não foi modificado no documento, poderá sofrer uma coima. Preste igual atenção ao livro de revisões e à ficha de inspeção do veículo.

Lembre-se que quanto menos recente for a viatura, menor se torna a possibilidade de conseguir contratar um seguro de danos próprios (também conhecido como seguro contra todos os riscos) a um valor conveniente. Faz sentido que assim seja, uma vez que, com o tempo, o risco de um carro ter problemas, ou até mesmo um acidente, é maior. As seguradoras sabem disso, encarecendo a sua oferta para esses casos. Neste caso específico, a opção de seguro contra terceiros acaba por ser mais apelativa.

Na compra de um carro usado, todos os aspetos contam. Seja ao nível do seguro, do financiamento e até da componente estética, é preciso considerar todas as opções e, acima de tudo, comparar, pois, às vezes, “o barato sai caro”.

Etiquetas

Gostava de gerir melhor o seu dinheiro?